Influencia de óxido metálicos en las propiedades antimicrobianas de elastómeros termoplástico

Ruth Marlene Campomanes Santana

Universidade Federal de Rio Grande do Sul-UFRGS Campus do Vale

Os materiais poliméricos vêm cada vez crescendo o campo de aplicação em diversos setores industriais, isto devido a sua versatilidade, baixa densidade e baixo custo quando comparado a metais e cerâmicas. De entre os materiais poliméricos destacam-se os polímeros termoplásticos pela sua facilidade de processamento e reciclagem. Dentro de este grupo, surgem os elastômeros termoplásticos (TPEs) que são materiais desenvolvidos a partir de copolímeros ou compostos de termoplásticos e elastômeros. Suas macromoléculas são compostas por segmentos rígidos e flexíveis alternadamente, a fase rígida garante a reticulação física das moléculas enquanto a fase flexível garante as propriedades mecânicas, como elasticidade do material. Estes materiais tem aplicação na área de engenharia, como indústria de automóveis, revestimento de cabos e fios, calçados, materiais médicos, entre outros, assim como para uso doméstico. Alguns exemplos são: vedações para refrigeradores, empunhaduras para eletrodomésticos e escovas de dentes, telefones celulares, materiais esportivos, brinquedos, entre outros. Os TPEs do tipo poliestirênicos possuem cadeias de poliestireno em bloco nas extremidades das cadeias, sendo ligados por polímeros flexíveis. O mais usado é o copolímero formado por (Estireno-Butadieno-Estireno, SBS). Com o intuito de melhorar as propriedades térmicas e resistência ao oxidação e ao ozônio, se usa o copolímero (Estireno-Etileno/Butadieno-Estireno, SEBS) obtido a partir da hidrogenação do SBS, no entanto, suas propriedades mecânicas são prejudicadas. Geralmente os compostos de SEBS e outros são adicionados em uma base termoplástica, principalmente o polipropileno (PP) formando blendas como o SEBS/PP. Também são adicionados outros componentes como cargas minerais a fim de agregar propriedades específicas. Contudo, para que estes polímeros possuam seu desempenho ótimo para as mais variadas funções, surgiram os compostos poliméricos, ou seja, misturas de um ou mais polímeros com diversos aditivos. Estes aditivos podem ser inorgânicos ou orgânicos como, por exemplo, o óleo mineral para auxiliar no processamento, porém estes óleos são fontes de carbono de baixo peso molecular e são capazes de promover a colonização bacteriana, influenciando na susceptibilidade do polímero ao ataque microbiano, tais como fungos e bactérias. Segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde, a rota mais comum de transmissão de doenças é o contato com superfícies contaminadas com gotículas contaminadas provenientes da tosse e espirros (por exemplo). Muitas aplicações dos compostos termoplásticos são susceptíveis a contaminação por bactérias e fungos, como produtos de higiene em geral, cabos de escovas de dente, capas de celular, partes emborrachadas de canetas, vedação de porta de geladeiras, calçados, brinquedos infantis, piscinas, papel de parede, peças automobilísticas, componentes elétricos, cortina de chuveiro são exemplos de matérias onde o emprego de aditivos antimicrobianos se faz necessário. Por esse motivo, nos últimos anos vem crescendo cada vez mais a procura de aditivos antimicrobianos para aplicação em artigos poliméricos. Um de estes aditivos com propriedades biocidas de óxidos metálicos como óxido de zinco (ZnO) que ao ser adicionada a composição de TPE pode inibir a proliferação de microorganismos.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s